The Sopranos: A maior obra-prima da televisão

Em 1990, a obra de David Lynch, Twin Peaks já tinha abalado as estruturas da televisão comum, mas foi apenas em 1997 que a televisão que conhecemos hoje foi começar a ser moldada. E isso venho com OZ, a 1° série da HBO e que deu um tom que ninguém nunca tinha visto antes, trazendo à tona uma série que abordava vários temas pesados e conflitava a realidade em que vivíamos. A trajetória da obra de Tom Fontana, OZ, não poderia ter sido mais brilhante, entrando facilmente como uma das melhores séries de todos os tempos.

E por quê estou falando tudo isso? Pois foi graças a todos esses fatores que em 1997 a HBO aprovou e encomendou o projeto de David Chase, a série que viria ser a obra-prima máxima da televisão, The Sopranos.

 

O texto à seguir não contém spoiler:

Para quem ainda não assistiu, aqui está a premissa da série: A série acompanha a vida de Tony Soprano (James Gandolfini), um mafioso ítalo-americano de New Jersey que depois de um ataque de pânico, ele procura ajuda de uma psicóloga, a Dra. Jennifer Melfi (Lorraine Bracco), para conseguir lidar com a sua vida familiar e com os “negócios da família”, também conhecido como crime organizado.

A série conta com diversos papéis de destaque entre os colegas, membros e rivais da família de Tony, o mais notável é o de sua esposa Carmela Soprano (Edie Falco) e seu primo, Christopher Moltisanti (Michael Imperioli).

The Sopranos sempre foi única por vários fatores, mas principalmente pela maneira que contava sua história e como desenvolvia seus personagens. Nunca houve uma série que colocasse tantos personagens em tela e fizessem funções tão importante na série.

Por mais que a série tenha Tony liderando todos os episódios praticamente, todos os demais personagens como Silvio, Christopher, Paulie, Carmela etc estão ali sempre acrescentando e cada um tem seu plot pessoal em determinado momento e é impossível não se importa com eles. A construção de todos é feita da maneira mais precisa possível.

Carmela que é interpretada de maneira excepcional pela Edie Falco e compõe meu top melhores personagens femininas da TV. Ela é como a Betty Draper, só que mais voraz, ao estilo de Skyler White e vejo-a como o maior símbolo feminino nas séries.

Fora o fato de criar o melhor personagem da história, Tony Soprano. Esse título não é a toa e se não fosse James Gandolfini trazendo uma das atuações mais surreais que já vi, nada teria saído tão perfeito. Se não fosse ele, não teria existido Jax (Sons of Anarchy), Walter White (Breaking Bad), Don Draper (Mad Men) entre outros. Assim como sem The Sopranos, atual cenário da televisão provavelmente seria pequeno, comparado ao que temos hoje.

E não digo isso à toa, Matthew Weiner, criador de Mad Men, a série que fecha a 3° Era de ouro em 2015, foi roteirista e produtor executivo de Sopranos por algumas temporadas e bebeu direto da fonte, assim como Terence Winter, criador da excelente Boardwalk Empire.

Eu atualmente estou assistindo Six Feet Under e Mad Men, e é impressionante ver como ambas as séries têm traços inspirados em Sopranos, a linguagem exercida é parecida e é evidente ver que se Tony não tivesse tido seu blackout lá em 1999, nem mesmo Breaking Bad teríamos testemunhado. O próprio Vince Gilligan falou sobre para a Hollywood Reporter.

Tony Soprano foi o 1° anti-herói da TV e seguramente o personagem mais complexo já criado. Tendo como seu diferencial, sendo um chefe da máfia que tratava de dilemas cotidianos, como: Ser pai, como lidar com a esposa, saúde, negócios e muito mais, e tudo isso sendo potencializado pelas ótimas e recorrentes cenas dele no consultório da Dra. Melfi. Personagem essa, que recebe um tratamento especial do início ao fim da série e que assim como todos os personagens recorrente da série -Gira em torno de uns 20, tem uma jornada brilhante e a evolução é muito bem construída em todos.

É difícil não dizer que The Sopranos tem também a melhor abertura:

A curiosidade fica por conta que. teve 2 versões da própria, a 1° mostra as torres do World Trade Center, e depois do atentado, na temporada 4, foi trocado para uma sem elas.

A música que toca ao fundo (Woke Up This Morning) dá o tom dessa viagem que Tony faz, saindo de New York até New Jersey, onde ele reside e a máfia impera.

The Sopranos é obrigação à qualquer seriador

Há várias (umas 10) séries que são “Lição de casa” e com toda a certeza, no topo dessa lista está The Sopranos.

Claro que The Wire, Breaking Bad, Six Feet Under etc beiram a perfeição, mas nenhuma dessas foi tão completa como Sopranos. 
Assista a série e você nunca mais verá a televisão com os mesmo olhos. A série que fez mudar tudo na 8° arte. Obrigado David Chase por ter feito The Sopranos, A série das séries!

Sopranos ficou no ar de 1999 até 2007, quando teve seu fim na 6° temporada contendo 86 episódios no total, e você pode assistir quando quiser no HBO Go.

Vamos falar de coisa boa?

O site Nerd Rabugento é independente e não depende de patrocinadores para existir. E toda contribuição que você fizer será muito bem vinda, seja com o valor que for. Com apenas um real você já ajuda e mantêm o site independente.

A independência do conteúdo do Nerd Rabugento depende de você. O seu apoio pode ser tanto mensal quanto feito apenas uma vez, com qualquer valor. Escolha um dos links abaixo e faça o site Nerd Rabugento crescer ainda mais rápido!

QUERO APOIAR ➜     QUERO CONTRIBUIR ➜