Resident Evil precisa de um reboot nos cinemas?

A saga Resident Evil nos cinemas divide opiniões de críticos e público desde o lançamento do primeiro filme, Resident Evil: O Hóspede Maldito, em 2002. Por um lado, parte dos fãs dos jogos e críticos acreditam que os filmes destoam muito dos games da Capcom que deram origem aos longas, em grande parte por conta da protagonista super poderosa Alice (Milla Jovovich), e as cenas frenéticas de ação exagerada e efeitos especiais que sobrepõe completamente a história e o enredo das tramas.

 

Durante o festival de cinema de Cannes deste ano, Martin Moszkowicz, produtor da Constantin Film, mesma companhia que produziu os outros seis filmes da série, anunciou que Resident Evil sofrerá um reboot nas telonas, inclusive divulgando posteriormente que James Wan, responsável por sucessos recentes de terror como Invocação do Mal, assumirá a produção deste renascimento de Resident nos cinemas.

Ainda não foram divulgados detalhes sobre a trama e o elenco que irá compor o reboot, porém é quase certo que Paul W.S. Anderson, que dirigiu e produziu os outros seis filmes e a atriz Milla Jovovich não devem retornar mais, uma vez que a idéia agora é de renovação total.

Verdade seja dita, talvez um reboot de Resident Evil nos cinemas seja benéfico. Assim como acontece com os filmes da séria Transformers, Resident é um show de efeitos especiais e cenas de ação que deixam a história completamente em segundo plano, e tirando a protagonista Alice, todo o resto se torna descartável até mesmo os personagens adaptados dos jogos, que nos filmes são reduzidos a meros coadjuvantes e todos muito mal caracterizados. Leon e Ada, por exemplo, nos games você acompanha o desenvolvimento da relação entre eles desde o segundo jogo da série, nos cinemas essa mesma relação tempestuosa é mostrada em apenas um filme e de maneira muito superficial e mal desenvolvida. A impressão que dá é de que o estúdio se apoderou do nome da franquia para lançar um filme próprio e ganhar dinheiro em cima da marca.

Com James Wan à frente do projeto, talvez seja à hora do estúdio arriscar na direção que fez de Resident Evil uma das maiores franquias dos games de todos os tempos e uma referência nos jogos do gênero Horror de Sobrevivência (Survival Horror). Talvez fosse à hora de explorar mais a atmosfera de terror, cenários escuros, adversidades, desafios e principalmente, apostar na fragilidade dos personagens e dar um toque mais humano para eles, explorando os seus medos e suas fraquezas.

Outro fator que deve ser levado em conta neste reboot, quem é o grande vilão do filme ou o antagonista dos heróis? Vamos pegar Alien, O Oitavo Passageiro (1978) como exemplo, a megacorporação, Weyland-Yutani, é responsável por induzir e de certa forma direcionar os personagens para o perigo, mas o foco do filme está no perigo em si (o xenomorfo) e não na corporação.

Como todos sabem, os executivos dos estúdios são aqueles que dão a palavra final de como um filme deve ou não ser, pois acima de tudo, o objetivo é obter o maior lucro possível. Então em se tratando de Resident Evil, e o peso que este nome carrega, é mais vendável que os filmes sejam mais focados em ação e menos em história. Mas agora que o reboot foi anunciado, talvez seja a hora de tentar algo que soe ao mesmo tempo grandioso, mas assustador, que faça o público sentir medo e que tenha uma história melhor estruturada e até mesmo mais interessante.

Cenas de ação e tiroteios frenéticos podem funcionar até certo ponto, mas conforme as continuações aparecem, todos esses elementos se tornam cansativos. Do primeiro filme até o último lançado no começo deste ano (Resident Evil: O Capítulo Final), a série apresentou poucas inovações, principalmente em termos de estrutura de roteiro, o mesmo molde estrutural e narrativo foi usado para fazer todos os filmes da franquia.

Isso não quer dizer que o reboot deva copiar 100% os jogos, mesmo por que se trata de uma adaptação, precisa ter originalidade. Apesar das divergências de opiniões, os seis filmes de Resident Evil renderam US$ 1,2 bilhões sendo os filmes de videogame mais rentáveis da história.

E você o que espera de um reboot de Resident Evil nos cinemas? Deixe nos comentários a sua opinião.

 

 

 

Vamos falar de coisa boa?

O site Nerd Rabugento é independente e não depende de patrocinadores para existir. E toda contribuição que você fizer será muito bem vinda, seja com o valor que for. Com apenas um real você já ajuda e mantêm o site independente.

A independência do conteúdo do Nerd Rabugento depende de você. O seu apoio pode ser tanto mensal quanto feito apenas uma vez, com qualquer valor. Escolha um dos links abaixo e faça o site Nerd Rabugento crescer ainda mais rápido!

QUERO APOIAR ➜     QUERO CONTRIBUIR ➜