NETFLIX PARTY 2020 #03 – SERGIO

Continuando com Netflix Party*, o terceiro filme exibido neste mês foi Sergio (Sergio, 2020, EUA) – uma produção da Netflix que conta a história do grande diplomata brasileiro Sergio Vieira de Mello – na figura humanitária por trás da instrumentação da Organização das Nações Unidas (ONU) em tempos de guerra.

 

Dirigido por Greg Barker (que dirigiu um documentário com o mesmo nome), Sergio é um longa que possui uma estrutura documental, de um elemento realístico em uma ordem não-cronológica. O roteiro de Craig Borten é eficiente na condução narrativa do primeiro ato, mas decai conforme os avanços do segundo ato para com o terceiro ato – criando um vício de similaridades ineficazes.

Wagner Moura encarna o Sergio de forma exemplar, com um inglês atípico de um estrangeiro – com um sotaque ‘carioquês‘ que transpira fluentemente. Percebe-se que estudou o personagem em questão, de seus trejeitos e no seu modo de agir durante o mandato. Uma atuação digna de ser percebida. E Ana de Armas se envolve como a economista argentina Carolina Larriella e, como não poderia deixar de ser, deixou sua marca de atuação impecável e cheio de nuances – transbordando carisma nas telas.

O enredo problemático está na condução do arco, principalmente a de Sergio (Wagner Moura). Embora seguisse a pesquisa relacionado à biografia literária (O Homem Que Queria Salvar O Mundo, de Samantha Power) e do ótimo documentário Sergio (também em cartaz na Netflix), perdeu-se na execução de uma história, delimitando-se apenas na relação amorosa entre Sergio e Carolina – bem como na transposição, assim conflitando – com flashbacks – entre o fator narrativo e discursivo, perdendo a força por total autonomia de direção artística.

Sergio é um longa operante sobre um símbolo máximo de diplomacia, mas que se perde na condução narrativa – utilizando a relação entre dois personagens centrais, como um método de disposição de empatia; e descarta totalmente o âmbito diplomático em que se seguiu durante a sua vida.

Sergio está em cartaz na Netflix.

*Netflix Party™é uma extensão gratuita e não-oficial da Netflix.

 

OS MEMBROS DO CLUBE DOS RABUGENTOS SÃO MUITO FELIZES!

O site Nerd Rabugento é independente e não depende de patrocinadores para existir. E para que o Nerd Rabugento continue INDEPENDENTE, TORNE-SE MEMBRO DO CLUBE DOS RABUGENTOS!

O Nerd Rabugento não dá dica ruim e você confia nessa afirmação. Torne-se Membro do Clube, tem um valor que cabe no seu orçamento. E tem um monte de vantagens que nenhum outro Clube oferece. Mas se você não quiser se tornar membro e ainda assim quer contribuir, clique no segundo link. A sua contribuição ajuda demais o canal a se manter.

QUERO SER MEMBRO ➜     QUERO CONTRIBUIR ➜