Matthew Weiner e a brilhante Mad Men

Mad Men é sem dúvidas nenhuma uma das melhores séries de todos os tempos e faz parte daquele seleto grupo de séries “lição de casa”.

 

Resolvi trazer algo um pouco diferente desta vez, não quero analisar ou  falar de uma série especificamente, mas sim vim falar um pouco de um dos produtores mais importantes da história da televisão, Matthew Weiner.

O motivo de eu estar falando sobre ele é bem simples, o considero um dos melhores contadores de história que já passou pela TV.

Sem dúvidas, hoje Matthew Weiner, mais Noah Hawley (Fargo, Legion) e Vince Gilligan (Breaking Bad, Better Call Saul) formam os 3 melhores storytellers em atividade.

Claro que David Lynch vem abalando a estrutura da TV desde 1990 com Twin Peaks e Demon Lindelof, além de Lost, fez a melhor série da nossa década, The Leftovers.

Mas ainda assim, citei esses 3, especialmente por terem ao meu ver, a direção mais orgânica e conseguirem trabalhar diálogos + desenvolvimento de personagens de forma fluida como ninguém.

Matthew Weiner: A mente brilhante por trás de Mad Men

Weiner, assim como Terence Winter (Boardwalk Empire), foram roteiristas de The Sopranos (A obra prima máxima da televisão) e beberam da melhor fonte possível, David Chase. O próprio certa vez disse que acompanha os trabalho de ambos e se orgulha do caminho que tomaram. 

Ao assistir Mad Men, é muito visível entender o do porque de Chase, e ver da onde veio a base/construção dele. E até mesmo como ele evoluiu depois de Sopranos. Por incrível que pareça, pois na série dos mafiosos Weiner já escrevia de uma maneira tão madura, que nem parecia que era apenas a sua 2° empreitada na televisão.

Digo que ele absorveu tanto d’Sopranos, que isso fica mais visível ainda na 3° temporada de Mad Men, onde há uma bela sequência de episódios que são como revisitar a série de Tony Soprano. Desde as viagens que Betty faz em seu trabalho de parto, muito semelhantes àquelas de Tony no 6×1/6×2, que o próprio Weiner escreveu na ocasião, há sutis modos como Don leva sua relação com a Betty, e até mesmo o modo como retrata as viagens à Itália, em ambas as séries.

A maneira que Weiner escreve é tão orgânica e a de mais fácil absorção possível, que é como se estivéssemos num passeio na mente do showrunner. Ele sempre consegue colocar, por mais sutil que seja, todos os detalhes/referências à época sem soar extravagante, sem jogar em sua cara.

É aqui que vemos o quanto ele evoluiu ao passar do anos, e é só notar que a cada temporada de Mad Men, a ele consegue implementar novos elementos à trama e sempre de maneira coerente. Ao dizer isso, é impossível não citar todo o rumo que a Megan tem, é simplesmente fantástico ver como a personagem surge numa temporada e na seguinte protagoniza vários episódios.

E em que série vemos uma adolescente -me refiro a Sally- carregar um episódio? É esse tipo de confiança e destreza que me faz colocar Weiener no posto de melhor showrunner da atualidade. Sempre fugindo de fórmulas, sempre fugindo do comum e sempre aposto no diferente mas feita de forma simples, é assim que Matthew faz, e faz com a maior perfeição possível.

Somado a tudo isso, de todo o brilhantismo de Wiener em escrever os melhores diálogos -Percebe-se como ele é afiado ao escrever, ao os diálogos do Don, Peggy e Roger, é uma “pérola” atrás da outra- e as construções de personagens mais sólidas que já vi em muito tempo. Talvez desde a própria The Sopranos e/ou Six Feet Under, não via algo de tal qualidade nesses quesitos.

Mad Men é perfeito. Simplesmente isso. Ainda irei voltar aqui para falar mais sobre a série e esmiuçar mais alguns pormenores. Por enquanto apenas quis dar uma pincelada em quem é o Matthew Weiner e toda a sua importância, tudo o que ele representa para o cenário televisivo.

E o futuro de Matthew Weiner?

Bom, Weiner, estadunidense de 52 anos ainda é novo e tem muito a nos entregar. Desde 2015 com o fim de Mad Men não dá as caras na TV, porém nesse meio tempo ele assinou um contrato com a Amazon que faz com que todas as próximas produções dele seja exclusivo da gigante do streaming.

Algo que está virando bem comum no meio televisivo, e os maiores exemplos disso é o Noah Hawley e Ryan Murphy com a FX e a Shonda Rhimes que recentemente assinou um contrato milionário com a Netflix.

A 1° série do Matthew para Amazon se chamará The Romanoffs, com estreia prevista para estrear em 2018 e contará com um elenco pra lá de estrelado, contando com nomes como: Christina Hendrick (Joan de Mad Men), John Slaterry (Roger, também de Mad Men), a estrela francesa, Isabelle Huppert, Amanda Peet e Jack Hoston (Boardwalk Empire).

De acordo com a Variety Hollywood Reporter, Weiner está criando The Romanoffs – que como o próprio nome indica se refere à família que liderou a Rússia e o seu império durante três séculos e até à revolução de Outubro de 1917 – como um conjunto de oito episódios independentes sem personagens em comum ou ligações com os restantes capítulos.

Apesar de ser uma premissa um pouco fora do comum, é impossível não ficar empolgado, afinal esse elenco + Weiner, é impossível dar errado.

Você pode assistir Mad Men completo na Netflix e The Sopranos na HBO Go.

Vamos falar de coisa boa?

O site Nerd Rabugento é independente e não depende de patrocinadores para existir. E toda contribuição que você fizer será muito bem vinda, seja com o valor que for. Com apenas um real você já ajuda e mantêm o site independente.

A independência do conteúdo do Nerd Rabugento depende de você. O seu apoio pode ser tanto mensal quanto feito apenas uma vez, com qualquer valor. Escolha um dos links abaixo e faça o site Nerd Rabugento crescer ainda mais rápido!

QUERO APOIAR ➜     QUERO CONTRIBUIR ➜