ESPECIAL 30 ANOS: A SOCIEDADE DOS POETAS MORTOS (1989)

Falaremos sobre o filme, de época, cujo mundo não é mais o mesmo; a saber, quero instigar os leitores a conhecerem o pano de fundo do longa-metragem, assim como os aspectos políticos e sociais (educacionais) resumidos, que englobam entre 1954 e 1959– da qual se passa o enredo. Eu entendo que, toda analogia que se faça ao filme, não é só audiovisual. Mas também se leva, em conta, o fator histórico: o ‘fio-condutor’ que traz significados (e influências) ao enredo.

 

O longa ‘A Sociedade Dos Poetas Mortos’ se comemora os 30 anos; a poesia, o encanto, a rebeldia, os contrastes entre os educadores e os ‘pensantes’ e os pais conservadores, são algumas das características que encontramos neste longa-metragem. Não desejo personificar o lado político do que há no enredo e do que há na realidade assumida do roteiro, tendo a escrever rasamente todos os pontos excludentes que são de época – sejam quais for. A história e os fatos se correlacionam, e o cinema se beneficia – pois os detalhes serão ricos e norteados. Tudo a favor de quem assiste e aprecia!

Venham comigo para conhecer o filme que marcou a vida de muitos – e inclusive a mim…

Sinopse Oficial e a Ficha Técnica

A Sociedade dos Poetas Mortos (Dead Poets Society) é um filme estadunidense de 1989, com roteiro de Tom Schulman (que também roteirizou os bons como ‘Querida, Encolhi As Crianças’, de 1989 e ‘Nosso Querido Bob’, de 1991)  e dirigido por Peter Weir ( que também dirigiu os ótimos como ‘A Testemunha’, de 1985; ‘Show de Truman’, de 1998; ‘Caminho da Liberdade’, de 2010).

Sinopse Oficial: O novo professor de Inglês John Keating é introduzido a uma escola preparatória de meninos que é conhecida por suas antigas tradições e alto padrão. Ele usa métodos pouco ortodoxos para atingir seus alunos, que enfrentam enormes pressões de seus pais e da escola. Com a ajuda de Keating, os alunos Neil Perry, Todd Anderson e outros, aprendem como não ser tão tímidos, seguir seus sonhos e aproveitar cada dia.

Trailer Oficial ‘A Sociedade dos Poetas Mortos’ (1989)

Personagens principais e seus respectivos atores

John Keating (Robin Williams)

Todd Anderson (Ethan Hawke)

Neil Perry (Robert Sean Leonard)

Knox Overstreet (Josh Charles)

Ginny Danburry (Lara Flynn Boyle)

Mr. Nolan (Norman Lloyd)

Mr. Perry (Kurtwood Smith)

Dr. Hager ( George Martin)

Stephen K.C. Meeks Jr. (Allelon Ruggiero)

Richard S. Cameron ( Dylan Kussman)

Gerald J. Pitts (James Waterston)

Charlie Dalton ‘Nuwanda’ (Gale  Hansen)

Srª Perry (Carla Belver)

McAllister (Leon Pownall)

Hopkins (Matt Carey)

Prêmios e Indicações

Oscar 1990 (Estados Unidos)

  • Venceu na categoria de Melhor Roteiro Original.
  • Indicado nas categorias de Melhor Filme, Melhor Diretor e Melhor Ator (Robin Williams).

Globo de Ouro 1990 (Estados Unidos)

  • Indicado nas categorias de Melhor Filme – Drama, Melhor Diretor, Melhor Ator – Drama (Robin Williams) e Melhor Roteiro.

Prêmio César 1991 (França)

  • Venceu na categoria de Melhor Filme Estrangeiro.

BAFTA 1990 (Reino Unido)

  • Venceu na categoria de Melhor Filme e Melhor Trilha Sonora.
  • Indicado nas categorias de Melhor Ator (Robin Williams), Melhor Diretor, Melhor Edição e Melhor Roteiro Original.

Prêmio David di Donatello 1990 (Itália)

  • Venceu na categoria de Melhor Filme Estrangeiro.

Sindacato Nazionale Giornalisti Cinematografici Italiani 1990 (Itália)

  • Venceu na categoria de Melhor Diretor de Filme Estrangeiro.

Political Film Society 1990 (Estados Unidos)

  • Recebeu o prêmio Democracia.

Writers Guild of America 1990 (Estados Unidos)

  • Venceu na categoria de Melhor Roteiro Escrito Diretamente para Cinema.

Resumo dos Aspectos Sociais e Políticos, de 1954-1959 nos Estados Unidos

Segregação racial nos EUA, na década de 50

Oh, Captain!‘ Como o mundo mudou…

Ali existia uma época de transição entre o período de guerras ocorridas na primeira metade do século XX  e o período de revoluções comportamentais e tecnológicas na segunda metade – isto se tratando no mundo todo.

Nos Estados Unidos, especificamente, podemos citar um fato triste, mas que era frequente: a segregação racial e a conduta de transgressão nos direitos de um indivíduo. Ao focarmos no âmbito educacional, veremos que – em 1954 – 17 dos 50 estados norte-americanos (cerca de um terço do total) requereram a segregação racial no Ensino Fundamental, além dos outros quatro estados que a permitiam, e mais 11 estados – para quais não haviam nenhuma legislação específica… Criando um laço danoso ao separar os indivíduos por classe social e cor/raça – causando humilhação, consciência de culpa e rejeição. Por tamanho desprezo, nasceram os importantes movimentos sociais – iniciando por Rosa Parks, Martin Luther King Jr. e outros.

A Mudança Comportamental dos Educadores x Estudantes – Na Década de 50

Há uma linha pensadora de que a aprendizagem é um mecanismo de posse criativo, a fornecer um auxílio permissivo aos estudantes para que possam ter êxitos em suas formações. Mas, de qual forma é construído a relação entre o educador e os indivíduos pensantes, nos Estados Unidos?

Ao julgar o ensino dos estados regulamentados no país, na década de 50, observamos que o ensino era disciplinado de forma conservadora, introduzindo o processo industrial nas aulas – por acharem ‘insuficiente’ o método educativo tradicional. Além da já citada segregação racial – constante e contundência na lei.

Com isso, os educadores possuíam uma voz de palavra, que não poderiam ser questionados ou confrontados. A disciplina era a todo rigor, com método ortodoxo, sem nenhum sinal de pensamento crítico aos estudantes – pois era proibido fazê-los pensar, seja por bem ou mal.

Estudantes, por sua vez, não poderiam exercer sua lei de pensamento, podendo ser acusado de desrespeito à autoridade – e assim, ser preso. Este foi o reflexo do silêncio, e transbordando de tal forma a eclodir todas as manifestações sociais em diante.

Ensaio Final Sobre o Filme e a Sua Representação No Papel de Influenciador Sobre a Sociedade

A Sociedade dos Poetas Mortos” é um retrato de um conflito social de necessidades e urgências movidas pelos jovens estudantes, em contraste de um sistema metodológico rígido, conservador e autoritário – que inibe a visão conciliadora de pensamento crítico.

Quando não há um desenvolvimento lúcido de ideias e pensamentos, o ensino se torna limitado. É desafiador tentar imaginar o pensamento coletivo (aqui, de estudantes) como massa de manobra, mas isto é o que vemos no longa-metragem: automatizado e massificado, somente para dizer sim, sim… sem valer qualquer dúvida ou contestamento.

É preciso ressurgir educadores como Keating (Robin Williams), que influenciem os estudantes a terem comportamento natural de pensamento, do conhecimento pleno – em base da literatura e filosofia, e na opinião insurgente que possa lhe dar personalidade e credibilidade.

Como diria Friedrich Wilhelm Nietzche:

“Eu jamais iria para a fogueira por uma opinião minha, afinal, não tenho certeza alguma. Porém, eu iria pelo direito de ter e mudar de opinião, quantas vezes eu quisesse”

Apesar, no final do longa, ter a tragédia como um catalisador para a demissão de Keating – injustamente, que se diga  – os seus respeitados estudantes foram influenciados e marcados para sempre. E isto é o que importa: ensina-os a pensar, e jamais eles serão aprisionados. As suas asas serão as suas liberdades, e suas vozes serão uma porta-voz da própria consciência.

    “Carpe Diem. Aproveitem o dia, meninos. Façam de suas vidas uma coisa extraordinária.”

 

 

 

 

Vamos falar de coisa boa?

O site Nerd Rabugento é independente e não depende de patrocinadores para existir. E toda contribuição que você fizer será muito bem vinda, seja com o valor que for. Com apenas um real você já ajuda e mantêm o site independente.

A independência do conteúdo do Nerd Rabugento depende de você. O seu apoio pode ser tanto mensal quanto feito apenas uma vez, com qualquer valor. Escolha um dos links abaixo e faça o site Nerd Rabugento crescer ainda mais rápido!

QUERO APOIAR ➜     QUERO CONTRIBUIR ➜