CRÍTICA: STRANGER THINGS 3 (SEM SPOILERS)

Abrindo mais uma temporada em seu conteúdo original da Netflix, o seriado Stranger Things – criado pelos irmãos Matt e Ross Duffer – consegue enfatizar tudo aquilo que foi remodelado em outras temporadas, e entrega uma temporada bem acima da anterior (a melhor até agora), embora tenha valido algumas posições duvidosas – a ver, principalmente no último capítulo.

 

A história se passa um semestre depois dos acontecimentos da segunda temporada, em 1985. Em ritmo de férias, e com a inauguração de um shopping, os personagens denotam-se mudanças: pós-puberdade, relacionamentos,intrigas. Porém, toda trupe e a Eleven (Millie Bobby Brown) descobrem que o mal não se sucumbiu, mas evoluiu. E assim, o perigo volta a tornar rotineiro na pequena cidade de Hawkins.

Mais do que uma simples metáfora – do perigo nascer de dentro p’rá fora, que parecia adormecida – aqui a importância se foca nos relacionamentos, nas amizades e no que podem ser extraídos diante de todo um problema. E com uma rica (e sonora) conotação oitentista, são exploradas as circunstâncias externas e visíveis, buscando uma aproximação mais ‘palpável’ entre o espectador e os personagens centrais.

Vamos dividir o seriado em duas partes: os primeiros quatro episódios e os últimos quatro episódios, na qual resultam em um total de oito capítulos – distribuídos em quase uma hora de duração cada. A primeira parte é razoável, investe na pós-adolescência e toda a sua áurea oitentista. E mesmo sem um fio-condutor como nas outras temporadas, a transição entre a primeira e a segunda parte é buscada em mini-núcleos investigativos, e é o maior triunfo do seriado. Um misto de terror, psicologia reversa e metamorfose corporal contemplam todo o ponto central (e até atemporal) do enredo, assim como os personagens centrais.

Stranger Things 3 é uma temporada recheada de grandes mistérios, de mudanças comportamentais e nas resoluções investigativas. Possui uma incrível trilha sonora que permeiam todos os episódios, e há uma cliffhanger que fará a espera da quarta temporada ser agonizante – e provavelmente será a última. O Mundo Invertido não será o mesmo…

Stranger Things 3 já está nos catálogos da Netflix.

Vamos falar de coisa boa?

O site Nerd Rabugento é independente e não depende de patrocinadores para existir. E toda contribuição que você fizer será muito bem vinda, seja com o valor que for. Com apenas um real você já ajuda e mantêm o site independente.

A independência do conteúdo do Nerd Rabugento depende de você. O seu apoio pode ser tanto mensal quanto feito apenas uma vez, com qualquer valor. Escolha um dos links abaixo e faça o site Nerd Rabugento crescer ainda mais rápido!

QUERO APOIAR ➜     QUERO CONTRIBUIR ➜